Não romantize a masculinidade e a feminilidade


Lembro das primeiras vezes que li sobre masculinidade e feminilidade na internet. Era uma coisa nova, desafiadora, que colocava em cheque tudo que eu acreditava sobre o que era ser homem e mulher. Naquele momento, pensei: 'agora posso ser um homem de verdade'. Maravilhosos textos falando sobre a liderança, a coragem, a força e o amor fervoroso que o homem deve sentir. Artigos e blogs fascinantes falando sobre a submissão e o dever das mulheres de serem auxiliadoras idôneas. Tudo era maravilhoso, empolgante e motivador. Mas as coisas não foram tão boas quanto eu esperava.

Quando estamos no escuro é difícil seguir manuais. Deixe-me explicar melhor: homens e mulheres não tem vidas simplesmente certinhas como a cultura cristã parece achar que deveriam ter. Espera-se que os homens cristãos, especialmente os da liderança, se sintam constantemente encorajados, sejam apaixonados por sua visão e tenham grande facilidade em lidar com seus problemas. Espera-se que as mulheres cristãs se submetam sem nenhuma dificuldade e que cuidem dos seus lares e de suas tarefas domésticas com imensurável prazer e alegria. Homens e mulheres amadurecidos, segundo eles, não deveriam lutar com pensamentos doidos, impulsos pecaminosos ou sentimentos de desespero. Entretanto, não creio que as coisas sejam assim. A maior parte da nossa vida é na escuridão: temos medos, problemas, lutamos contra pecados, nos sentimos abandonados e a vida parece nos esmagar. Nessa escuridão, listas de regras só produzem mais frustrações.

O que acontece é que nós simplesmente reduzimos a grandeza dessas vocações em manuais de "como fazer". Dessa forma, muito da nossa masculinidade e feminilidade é baseada em uma lista de "fazer/não-fazer". Entretanto, sei que o Espírito de Deus não está tão interessado em nos dizer como fazer nossas vidas funcionarem. Ele está mais interessado em despertar - em meio às incessantes dificuldades - a nossa paixão por Cristo. Ao invés de solucionar nossos problemas, Ele, com maior frequência os usa para nos desequilibrar, para nos tornar menos seguros sobre como a vida se desenvolve, para nos levar a fazer perguntas difíceis que temos pavor de fazer, para trazer à tona as dúvidas obstinadas e as exigências feias que nos mantêm longe de Cristo.

Não creio que a Bíblia apresenta um plano para fazer a vida do homem e da mulher funcionar, como lemos na maioria dos artigos sobre o assunto. Acho que, doutra forma, ela oferece uma razão para continuarmos em frente mesmo quando a vida não vai tão bem. Em nosso modo de pensar, tanto os homens quanto as mulheres admitem o medo da confusão, assumem o assédio do pecado e do tentador e não escondem que a cultura os pressiona. Mas, apesar disso, não fogem na direção de uma confiança fácil ou de um "plano de tantos passos".

A masculinidade e a feminilidade não são romances em suntuosos castelos da Disney. Afinal, ser homem e mulher envolve a vida comum. Envolve desânimo, estresse do trabalho, dias de TPM, cansaço físico e mental - isto é, rotina. Nós nos debatemos com perguntas que ninguém responde. Fracassamos diante de coisas que, a essa altura da vida, achamos que já tínhamos superado. Lutamos contra feios desejos dentro de nós e respiramos ofegantes, ansiando por um consolo.

Mas, ainda temos esperança. Temos esperança de que, embora confusos, às vezes desanimados e ocasionalmente desesperados, ainda estamos nos movendo. E, no final das contas, é isso que significa ser homem e mulher: mover-se. Nem sempre com sucesso, nem sempre com vitórias, é verdade, mas, mover-se, com o tipo de movimento que somente uma fascinação por Cristo, apaixonada, consumidora, dirigida pelo Espírito, pode produzir. Essa é a verdadeira vitória. Para que exista verdadeira masculinidade e a feminilidade, algo mais do que listas e manuais é necessário - o que se precisa é de uma mudança de coração! Isso significa, com certeza, uma reorganização de nossos hábitos e de nossas práticas, mas, acima de tudo, envolve uma profunda entrega de tudo que somos a Deus. Isso é realmente ser homem e mulher.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Consolai o meu povo, diz o vosso Deus

Resgatando a Masculinidade Bíblica